Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade
Aceitar Cookies
Recusar Cookies
 
  •  
     

    Temos que nos ajudar

    Temos que nos ajudar uns aos outros no cumprimento da vontade de Deus nesta santa Obra.

    Espiritualidade Calabriana

    19.12.2023 08:00:00 | 2 minutos de leitura

    Temos que nos ajudar

    Além disso, peço-lhes encarecidamente que tenhamos todos uma grande caridade... Temos que nos ajudar uns aos outros no cumprimento da vontade de Deus nesta santa Obra. Nos acontecimentos, nas provações, descubramos sempre Jesus, que quer ou permite tais coisas para o nosso bem e para o bem desta sua Obra e digamos ‘Dominus est’ (É o Senhor!).

    Caridade. Ah, queridos irmãos, de joelhos e de mãos juntas lhes peço e suplico: cuidem que reine sempre soberana, em nossa Obra, esta virtude. Para longe as críticas, as maledicências, as invejas! Lembremo-nos de que todos nós somos operários e agricultores do mesmo dono que é Deus; que somos colocados aqui para trabalhar na sua lavoura, em várias repartições - Nazareth, San Zeno in Monte, Costozza, San Benedetto; Madonna di Campagna, Roma - mas num só terreno; e cada qual é chamado a trabalhar na sua repartição, sabendo que é uma parte da lavoura de Deus. Fiquem alegres então ao verem uma repartição melhor cultivada e mais viçosa e, pelo contrário, animem-se a auxiliar a mais pobre, cientes de que estamos trabalhando somente e todos na única lavoura de Deus. Em nossas orações, em nossas visitas, na santa comunhão, peçamos ao Senhor esta graça, este espírito: a caridade, porque ai está tudo. Como outras vezes lhes disse, nada pode derrubar ou parar esta Obra, mas o que pode fazê-la parar ou desviar, é a falta de caridade entre nós, o espírito de crítica, de inveja, de maledicência, afinal, tudo que procede do nosso egoísmo e da nossa soberba.

    E há mais uma coisa que não quero esquecer: peço-lhes que vivam na mútua caridade; ela é como o cimento que aglutina as almas e faz de todos uma só coisa. ‘Um só coração e uma só alma’, é esta a unidade que Nosso Senhor Jesus Cristo pedia aos seus apóstolos para que fossem uma só coisa entre si, como Ele com o Pai. Pelo amor de Deus, que não se criem distinções entre religiosos e religiosos; um só corpo, uma só pessoa! O apostolado é amplo como o mundo e tudo é importante, tanto a cabeça como o pé, tanto o braço como o dedo: é só estar dentro da obediência.

    São João Calábria
    Trecho do Livro Retornemos ao Evangelho
    Para ler os demais trechos publicados, clique aqui

    Mais em Espiritualidade Calabriana
     

    Copyright © Pobres Servos da Divina Providência.
    Direitos reservados, acesse a política de privacidade.