Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade
ACEITAR E FECHAR
 
  •  
     

    Memória de Padre Roberto Bessa Santos

    Nas celebrações dos 60 anos de presença da Congregação no Brasil, trazemos memórias daqueles irmãos que doaram sua vida pelo Reino neste carisma.

    Artigos

    27.08.2021 10:49:37 | 5 minutos de leitura

    Memória de Padre Roberto Bessa Santos

    Uma vida, um chamado, um sacerdote, um amigo-irmão e hoje, um intercessor junto a Deus: Padre Roberto Bessa Santos (In memoriam)

    Padre Jardel Rodrigues, psdp.

    O que dizer desse amigo-irmão?

    Voltando-me para as recordações, fico a perguntar-me: como descrever Pe. Roberto Bessa, um amigo-irmão, no qual tive a graça de conhecer e conviver? Com ele descobri as belezas do chamado, da vocação e do abandono a Providência Divina, partilhei as alegrias e os desafios da vida sacerdotal. As palavras são insuficientes; na memória as lembranças vivas que ainda ecoam no coração e na mente. Porém, ainda que as palavras sejam insuficientes, faço um percurso por sua biografia, louvando a Deus pelo dom da vida de seus pais e por sua vinda a este mundo. Depois, uma breve descrição do que sua vida transpareceu, para mim, e, em cada um que teve a graça de também conviver com ele. Por fim, sua biografia vocacional, registros de momentos significativos, cumprimento da promessa de Deus para sua vida, concretização de um “sim" decidido pela vocação ao qual Deus o chamou. Registros de uma trajetória de muito amor, fidelidade, renúncias, alegrias, desafios, vitórias, frutos multiplicados a Deus. Uma vela que se consumiu por amor e iluminou a mim e a muitos.

    Biografia

    Padre Roberto Bessa Santos, religioso e sacerdote Pobre Servo da Divina Providência, natural de Santo Estevão (Povoado Paiaiá), Bahia. Nasceu no dia 28 de maio de 1981, filho de Nelson do Amor Divino Santos (In memoriam) e Nilza Elias Bessa Santos, segundo filho do casal.

    Descrição dos que tiveram a graça de conviver com ele

    “Eu vos darei pastores segundo o meu coração, os quais apascentarão com inteligência e sabedoria” Jr 3,15. Certa vez, Nosso Senhor indagou seus discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?” (Mc 8,27-30). Seguindo essa pedagogia de Jesus, se perguntarmos a algumas pessoas que tiveram a graça de conviver com Roberto, em síntese expressarão: uma pessoa amigável, um bom filho, bom irmão, uma pessoa caridosa, um bom padre, um homem de bom coração, paciente, generoso e humilde, qualidades visíveis. Particularmente, destaco algumas características da sua personalidade: tinha um olhar atencioso, era uma pessoa de oração, engajado em suas responsabilidades, alguém que não falava muito, mas o necessário; suas peculiaridades: o silêncio e o seu olhar que falavam por si. Sabia ser atencioso nas coisas do dia-a-dia: com uma palavra ou gesto.

    Nas palavras de sua mãe: “Quando Roberto chegar vamos resolver” D. Nilza tinha uma confiança e respeito por ele. Falava com delicadeza, simplicidade, até quando havia a necessidade de uma correção fraterna. Roberto era devoto de Nossa Senhora e a expressão de seu amor se deu através do terço e da meditação da Palavra de Deus. Falava e vivia a vocação com alegria, dedicação, como uma dádiva, um dom de Deus. Como religioso padre vivia este chamado com autenticidade. Certa vez, expressava isso em uma entrevista: Qual o significado do sacerdócio? “O sacerdócio para mim é elevar a Deus preces, sofrimentos, fé e esperança, como oferta diária do povo de Deus. Coloco-me a serviço do Reino, acolhendo os mais necessitados à luz do Carisma Calabriano e do Evangelho”. Carregava as esperanças no coração para o ministério ao qual foi chamado: “Quero viver meu sacerdócio de forma plena, com tudo que ele traz, integrando os sentimentos e experiências que esse estilo de vida pede. O sacerdócio é sublime. É dom grandioso. Ainda me sinto distante disso, indigno servo. Mas desejo viver intensamente esse dom todos os dias, na vida e missão. Estou a caminho com esperança, alegria e compromisso”. Dizia mais: “que era bela a experiência da celebração dos sacramentos. Destacava o sacramento da reconciliação, pois percebia o encontro profundo, pessoal e de um recomeço com o amor de Deus”.

    Nos deixou aos 32 anos, com marcas eternas, partindo para a casa do Pai. Hoje, vive eternamente! Contempla aqueles a quem tanto amou – Jesus Cristo e a Virgem Santíssima – meu intercessor!

    A Deus nossa gratidão por esse amigo-irmão e sacerdote que nas palavras de São João Calábria: “Valorizou e amou muito sua vocação”. Da Palavra de Deus vem a nós o conforto: “O Senhor deu, o Senhor tirou; como foi do agrado do Senhor. Bendito seja o nome do Senhor!”

    Oração

    Senhor, são tantos os caminhos que nos apresentam na vida!
    Dai-nos a graça de escolher com clareza o nosso caminho pessoal, que por vezes é o caminho de tantos outros irmãos e irmãs.
    Aos que caminham no serviço do Reino, fortalece-os em sua caminhada.
    E quando nos for difícil caminhar, toma-nos pela mão e guia-nos com passos firmes de decisão e certeza na estrada.
    Aos que encontrar seu caminho, ilumina-os em sua busca com o dom do discernimento.
    Que eles, caminhando, descubram, passo a passo a sua vocação. Jesus, vocacionado do Pai! Amém.

    Biografia Vocacional

    Nasceu: 28 de maio de 1981
    Ingresso no COV: 20 de fevereiro de 2001
    Aspirantado: 15 de janeiro de 2004
    Postulado: 21 de fevereiro 2005
    Noviciado: 31 de dezembro de 2006
    I Profissão Religiosa: 01 de janeiro de 2008
    Profissão Trienal: 01 de janeiro 2011
    Ordenação Diaconal: 01 de julho de 2012
    Ordenação Presbiteral:15 de dezembro 2012
    Última Missa: 09 de fevereiro de 2014
    Páscoa: 10 de fevereiro de 2014
    Sepultamento: 11 de fevereiro de 2014

    Mais em Artigos
     

    Copyright © Pobres Servos da Divina Providência.
    Direitos reservados, acesse a política de privacidade.