Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade
Aceitar Cookies
Recusar Cookies
 
  •  
     

    A Igreja: a casa nova

    Que felicidade para nós, cristãos, pertencermos a esta casa em que se respira um ambiente totalmente celestial! Nela, o chefe é Jesus, que se fez nosso irmão mais velho, Mestre e Salvador.

    Espiritualidade Calabriana

    25.01.2024 08:00:00 | 2 minutos de leitura

    A Igreja: a casa nova

    Quando se completou o tempo previsto, o próprio Filho do Pai celeste, Jesus Cristo, veio preparar-nos uma casa realmente nova, a santa Igreja, casa realmente divina, na qual encontramos a abundância dos bens espirituais. 

    Que felicidade para nós, cristãos, pertencermos a esta casa em que se respira um ambiente totalmente celestial! Nela, o chefe é Jesus, que se fez nosso irmão mais velho, Mestre e Salvador. 

    A lei e regulamento desta casa é o Evangelho, que veio aperfeiçoar a antiga Lei de Deus transformando-a em lei de amor. 

    Nela temos os divinos reabastecedores da Graça: os santos Sacramentos. 

    Nela temos também os fulgurantes exemplos dos Santos que nos estimulam ao bem, e a infinidade de instituições por ele deixadas, que exercitam a caridade prática no atendimento de todas as ocorrências e necessidades da vida. 

    Lembrai-vos, de que, numa casa só nos sentiremos bem, quando existir harmonia dos corações e amor recíproco. 

    Nas nossas casas aqui na terra, e mais ainda, na santa Igreja, precisamos zelar por este segredo da felicidade: a caridade prática, aquela caridade que ama a todos por amor de Deus; que socorre de acordo com as próprias forças, que sacrifica um pouco do que é seu para atender ao irmão. Este é o distintivo do cristão, do ditoso morador desta grande casa que é a Igreja. Nós somos todos irmãos, somos filhos do mesmo Pai que está nos céus; fomos todos remidos pelo mesmo Sangue de Cristo e estamos todos destinados a chegar ao Céu. 

    Quando numa família, algum irmão não se comporta bem e se mantém afastado devido a esse mau comportamento, sempre há um irmão que o convida e exorta a retornar. 

    Assim é que nós devemos fazer com os irmãos que se deixam levar pelo mal... Não são inimigos a serem combatidos, e sim, irmãos que precisamos reconduzir ao lar. 

    São João Calábria
    Trecho do Livro Retornemos ao Evangelho
    Para ler os demais trechos publicados, clique aqui

    Mais em Espiritualidade Calabriana
     

    Copyright © Pobres Servos da Divina Providência.
    Direitos reservados, acesse a política de privacidade.