Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade
Aceitar Cookies
Recusar Cookies
 
  •  
     

    36 anos da beatificação do Padre João Calábria: um legado de amor e serviço

    "Este projeto de caridade, humanamente paradoxal, tão audacioso, tão confiante, tão singular, não pode deixar de nos atingir e de nos levar a dar graças a Deus, que suscitou entre nós um testemunho de confiança sem reservas na palavra do Evangelho." Disse São João Paulo II na homilia de beatificação.

    Notícias

    17.04.2024 07:00:00 | 5 minutos de leitura

    36 anos da beatificação do Padre João Calábria: um legado de amor e serviço

    No dia 17 de abril, celebramos o trigésimo sexto aniversário da beatificação do Padre João Calábria, um momento memorável na história da Família Calabriana. Foi neste dia, há 36 anos, que o Papa João Paulo II, na santa Missa em Verona, declarou beato o Padre João Calábria, reconhecendo seu exemplo de santidade e serviço à Igreja.

    Muitos são os testemunhos sobre a vida exemplar deste sacerdote veronês. O Beato Cardeal Schuster mandou epigrafar sobre o túmulo do Pe. João Calábria: "Resplandeceu como farol luminoso na Igreja de Deus". 

    Na carta de postulação endereçada ao Papa João Paulo II, os bispos da Conferência Episcopal do Trivêneto destacaram a importância do Padre Calábria na preparação da Igreja para o ano 2000, reconhecendo nele uma voz profética que clamava pela abertura aos desígnios de Cristo Redentor. Os bispos escreveram: 

    "Padre Calábria, exatamente para preparar a Igreja do ano 2000 - expressão a ele familiar - fez de sua vida um sofrido e enternecido apelo à conversão, à renovação, à hora de Jesus com acentos impressionantes de premente urgência ... Parece-nos que a vida do Pe. Calábria e a sua mesma pessoa constitua uma "profecia" do vosso apaixonado grito a todo o mundo: "Abram as portas a Cristo Redentor!".

    Em sua homilia durante a beatificação, o Papa João Paulo II ressaltou a importância do testemunho de caridade e zelo pastoral do Padre João Calábria, destacando-o como uma inspiração para toda a Igreja.

    Como nos lembra o Papa João Paulo II em sua homilia em Verona, o legado do Padre João Calábria é um convite a todos nós para vivermos com amor e dedicação ao serviço do Reino de Deus. Que sua vida e exemplo continuem a iluminar o caminho daqueles que buscam seguir os passos de Cristo.

    Segue o trecho da homilia em que o Papa se refere ao Padre Calábria:

    “Padre João Calábria é uma testemunha que deixou uma marca profunda na vossa Igreja [Igreja de Verona]: testemunho de caridade para com os pobres, de zelo pelas almas, de intenso amor a Deus.

    Especialista em pobreza, como vocês sabem, porque nasceu em uma família muito pobre; Apoiado pela caridade durante os estudos, amou especialmente os jovens pobres, os órfãos e os abandonados. A sua experiência dotou-o de uma sensibilidade e de uma capacidade particulares para se aproximar dos jovens afastados da fé, sem ajuda e, sobretudo, necessitados do calor familiar.

    Foi precisamente a singular e vasta experiência de pobreza que despertou nele uma confiança ilimitada na Providência de Deus. Ele sempre chamou as suas iniciativas e fundamentos de “obra do Senhor”. Sabe-se que desde muito jovem ficou fortemente impressionado com as palavras do Evangelho: «Não te preocupes com a comida e a roupa: o teu Pai celeste sabe que tens necessidade delas. Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6,33). Com este espírito chamou a sua família religiosa de “Pobres Servos da Divina Providência”, confiando aos seus filhos espirituais a tarefa de irem até lá “onde não há nada de humano a esperar”.

    Este projeto de caridade, humanamente paradoxal, tão audacioso, tão confiante, tão singular, não pode deixar de nos atingir e de nos levar a dar graças a Deus, que suscitou entre nós um testemunho de confiança sem reservas na palavra do Evangelho.

    Mas o amor do Padre João Calábria pela Igreja ainda deve ser lembrado. O gemido dos últimos anos de sua vida, como se sabe, foi quase um reflexo da angústia do Crucifixo pelas almas. Referiu-se àquele suspiro tão insistente como a voz do Senhor: “Minha Igreja, minha Igreja”. Deste amor sofrido pela Esposa de Cristo nasceu a dedicação do Padre Calabria aos sacerdotes e religiosos. Ainda recordais os seus apelos apaixonados, dolorosos e ousados às autoridades eclesiásticas, aos sacerdotes, aos religiosos, aos sacerdotes em dificuldade, para pedir a todos uma renovação radical da vida, um regresso vigoroso à "apostolica vivendi forma". Esta mensagem ao clero e às pessoas consagradas não deve ser esquecida. A vossa Igreja tem a tarefa e o legado de mantê-la viva e de testificá-la com generosidade e vigor no nosso tempo.

    O amor à Igreja despertou também no Padre Calábria o compromisso pela unidade dos cristãos.

    Rezou com este propósito, manteve contatos amigáveis com membros de outras Igrejas e comunidades eclesiais e ofereceu a Abadia de Maguzzano como sede da seção italiana da "Catholica Unio". Das suas cartas emerge claramente a intuição de que a plena comunhão dos cristãos passa por um caminho importante, que procura envolver todo o Povo de Deus no desejo e na busca da unidade desejada por Cristo.”

    Neste dia significativo, antecedendo a festa jubilar dos 25 anos de Canonização de São João Calábria, a Família Calabriana do Brasil inicia as 25 Horas de Adoração, unindo-se em oração para louvar e bendizer a Deus pela vida e exemplo de São João Calábria. Comunidades religiosas, leigos, e devotos se reúnem em uma só voz, reconhecendo a importância desse grande servo de Deus.

    Clique aqui e veja a programação da Adoração
    Clique aqui e acesse o roteiro da Adoração.

    Mais em Notícias
     

    Copyright © Pobres Servos da Divina Providência.
    Direitos reservados, acesse a política de privacidade.