Loading color scheme

São João Calábria, mesmo antes de ser ordenado presbítero, sentia-se impelido interiormente por um desejo intenso de ser todo de Jesus e amar imensamente as pessoas. Tomou para si o solícito cuidado dos meninos abandonados que a Providência lhe fez encontrar pouco a pouco. Aumentando o número de meninos, aconselhou-se com pessoas santas e experientes para abrir uma casa onde estes “filhinhos de Deus”, abandonados pela sociedade, pudessem encontrar um lar, alimentação, educação, instrução escolar e profissional e, sobretudo, amor.

Os primeiros meninos foram acolhidos na casa paroquial de São Bento no Monte: mas o contínuo aumento levou São João Calábria a procurar um lugar mais amplo. A primeira casa foi aberta com cinco meninos na Paróquia de San Giovanni in Valle, em Verona, em 26 de novembro de 1907, data considerada fundacional da Obra. Auxiliado neste trabalho apostólico por pessoas generosas, Padra Calábria constituiu o primeiro grupo de colaboradores, alguns dos quais, depois de madura reflexão e prolongada oração, sentiram-se chamados a permanecer com ele permanentemente. Ele os chamou de Irmãos e como tais quis que, assim, o vivessem.

A Obra, no início, chamava-se “Casa Bons Meninos”, pelo campo apostólico específico em que trabalhava, e assim, continuou a se chamar até a fundação da Congregação religiosa de direito diocesano, ocorrida em 1932, com as primeiras constituições aprovadas pelo bispo de Verona e as primeiras profissões religiosas públicas. A partir deste momento, tornou-se "Congregação Pobres Servos da Divina Providência".