57 anos da Obra Calabriana no Brasil

Estamos comemorando 57 anos da chegada dos Pobres Servos no Brasil -  30 de agosto de 1961.


Damos graças a Deus Pai que cuida de nós, em poder atuar nessa terra, fazendo-nos instrumentos vivos dele através da Obra Calabriana. Somos gratos ao fundador da Congregação, São João Calábria, e ao Pe. Miguel Tofful, que hoje dá continuidade a sua missão. Queremos agradecer também a todos os religiosos da Congregação, as irmãs Pobres Servas, aos benfeitores, leigos calabrianos, colaboradores e atendidos, "pérolas da Obra", como nosso fundador costuma dizer.

Nesse dia em especial, pedimos também as orações e preces para que possamos continuar expandindo o trabalho de evangelização e de assistência aos mais pobres e necessitados. 

UM POUCO DA HISTÓRIA DOS POBRES SERVOS NO BRASIL

 

A partir das missões da Congregação na América Latina (Salto, no Uruguai) e crendo também na Divina Providência, a obra chegou até aqui, com o olhar sensível de Pe. Gino Gatto, que lá coordenava uma expedição da Congregação.

 

'Em 1961, Pe. Gino Gatto foi chamado à Itália para participar do II Capítulo Geral dos Pobres Servos. Naquela ocasião, apresentou o trabalho que os missionários desenvolviam na campanha do Salto e falou da necessidade de abrir uma casa no Brasil, onde existiam comunidades de imigrantes provenientes da região italiana do Vêneto. Fez um detalhado relatório dos seus contatos com o Arcebispo de Porto Alegre e da sua acolhida favorável em relação a uma presença dos Pobres Servos naquela Arquidiocese. Os capitulares acolheram com alegria a notícia e aprovaram por unanimidade a abertura desta nova missão. '  - Trecho do livro Pobres Servos da Divina Providência  50 anos de Brasil.

Foi no dia 30 de agosto de 1961, de manhã bem cedo, após celebrar a santa missa, que um pequeno grupo de religiosos (Pe. Gino Gatto, Pe. Antônio Leso e Ir. Aldo farina) partia da província de Salto, de ônibus,  para Porto Alegre. Chegando na rodoviária da Capital gaúcha as irmãs Paulinas estavam gentilmente os esperando, oferecendo estadia.

Depois de alguns dias, falando apenas algumas palavras em português, os três missionários entraram em contato com os moradores das favelas do Cristal, São Gabriel, Santa Luzia, entre outros lugares de extrema vulnerabilidade social de Porto Alegre. E a partir daí, com o apoio do Arcebispo, Dom Vicente Scherer e de Pe. Luis Pedrollo, na época Superior-geral dos Pobres Servos, que a comunidade se transferiu para a Estrada Aracaju, em uma modesta casa em estilo colonial, iniciando os trabalhos nas favelas da Zona Sul de Porto Alegre.

Que o Espírito Santo continue a animar-nos para que respondamos fielmente ao vosso chamado. São João Calábria Rogai por nós!