Loading color scheme

História da Paróquia São João Batista

Paróquias
Paróquia São João Batista, Jacundá.
Paróquia São João Batista, Jacundá.

A caminha da Paróquia São João Batista está amplamente associada com a marcha do povo da PA 150, isto é, na qual soma-se o derramamento de suor, sacríficos, perseguição e até mesmo martírio.

No ano de 1977, foi rasgada na mata virgem a estrada da PA 150, abrindo-se lugares até então impenetrados, para que o povo retirante, proveniente principalmente dos Estados do Nordeste e Sul, pudesse desbravar a terra da liberdade. O objetivo deste duro trabalho: pudesse ter uma melhor qualidade de vida.

Foi nas margens do rio Arraias que o povo escolheu para iniciar um povoado, tomando para si o nome do próprio Rio. A marca fundamental dessa conquista foi a Santa Missa presidida no dia 12 de março de 1977 pelo Padre Geraldo, vindo de Belém; celebrada no meio da rua, a céu aberto, como sinal de consagração e bênção de Deus a todo o povo que se edificava nesta nova terra.

Nascendo, assim, a comunidade que se reunia nas casas para celebrar a Palavra de Deus. Neste trilhar da evangelização e formação de novas comunidades, destacasse a presença da Irmã Doroty Stang, religiosa da Congregação Irmãs Notre Dame de Namur.

No ano de 1978, com a chegada de novos retirantes, a comunidade cresceu e se estendeu; localizando-se pelas margens da estrada e no fim de agosto de 1978, surge o povoado de Goianésia no Km 162. Eventualmente, com o crescimento dessas comunidades, os conflitos ocasionados por grileiros em busca de terra se iniciaram.

Chegado o mês de junho do presente ano realizou-se o 1º festejo, e com a renda adquirida iniciou-se a construção da Igreja, que no mês de dezembro teve o telhado colocado.

O ano de 1979 foi marcado por intensos conflitos. Neste período chegou nesta terra de missão Padre Humberto. Em janeiro de 1979 a comunidade conta com o apoio de um jovem seminarista chamado Eduardo, pertence a Diocese de Marabá que ajudava a Irmã Doroty nas caminhadas. Em fevereiro chega o Padre Paulo para integrar a equipe de pastoral da PA 150. A Igreja na PA 150, desde o início se fez solidária com os pobres posseiros, assumindo suas lutas, como exigência do Evangelho. No dia 25 de março de 1979, após a celebração da Missa, se realizou a escolha do padroeiro de Jacundá. Todos presentes foram unânimes e escolheram São João Batista, o grande profeta que não teve medo de Herodes, sendo exemplo, de que não devemos ter medo.

No ano de 1980, os intensos conflitos continuaram. E no dia 25 de julho a Igreja de Jacundá recebe a presença de Dom Alano, bispo da diocese de Marabá e de várias comunidades vindas de longe. Nesta oportunidade se aproveitou para efetuar denúncias contra as perseguições existentes. A isto destaca-se a chegada das irmãs Rosa e Zilma da Congregação Missionárias de Jesus Crucificado para integrar a equipe de pastoral. Para atender a área de Nova Ipixuna a Igreja de Jacundá contou com o apoio de mais algumas Irmãs, a Ir. Goreti e Ir. Joaninha.

Em 1983, os conflitos existentes se acalmam e no mês de junho iniciou-se a construção do Centro pastoral, lugar onde atualmente se desenvolve todo o campo formativo da Paróquia.

Com o passar do tempo a comunidade foi crescendo, e se tornou necessária a construção de uma nova Igreja Matriz. Assim, em 28 de junho de 1985, vésperas de São Pedro, a comunidade pede as bênçãos de Deus por meio do Bispo diocesano Dom Alano para a pedra fundamental da nova Igreja. A cerimônia contou com vários agentes de pastoral da Diocese de Marabá e membros das comunidades provenientes da região, marcando para sempre esse grande passo na vida da Igreja de Jacundá e do povo local. Ao mesmo tempo, celebrar com jubilo os 25 anos de vida sacerdotal e missionária do Padre Humberto Rialland, missionário Oblato de Maria Imaculada, grande desbravador missionário.

Paróquia São João Batista durante o Círio de Nazaré, em 2019.

Na base de todo este horizonte é que se dá o contexto da vida e missão da Paróquia São João Batista confiada a nossa família religiosa há 18 anos. A Paróquia se localiza no município de Jacundá no Estado do Pará a 440 Km da capital Belém. É composta de 47 comunidades sendo 14 delas presente no meio urbano e 33 no meio rural. Tem como visão: “Anunciar o evangelho e estar perto dos mais necessitados através da formação e promoção integral das pessoas em plena confiança e abandono à Divina Providência tendo Deus como Pai e Mãe” sobre a luz da missão de “Tornar-nos discípulos, irmãos e Missionários na promoção da vida humana e cristã”, por meio de significativos valores como: fé, doação, alegria, simplicidade, solidariedade e transparência.

Neste sentido, por meio das 34 ações que se desenvolvem nas pastorais, movimentos, serviços, conselhos e grupos é nosso compromisso louvar a Deus Pai providente por estes expressivos anos de evangelização que são sustentados por quatro pilares: casa da Palavra focando na iniciação à vida cristã e animação bíblica; casa do Pão pondo em destaque a Eucaristia sob as colunas da liturgia e espiritualidade; casa da caridade com o serviço à vida plena; e casa da Missão como colaboradores de Cristo.

Junto com o trabalho paroquial soma-se o trabalho em prol da educação através do Instituto Pobres Sevos, que em 2006, começou a desenvolver a atividade denominada Centro Educacional Nossa Senhora Aparecida. No referido Centro, realiza-se um trabalho que busca excelência no atendimento as crianças e em paralelo a isso preocupa-se em atender as famílias em suas necessidades. Tornando-se assim um espaço privilegiado no propósito de favorecer inter-relações humanas e o fortalecimento de vínculos familiares.

O início desta atividade educacional ocorreu mediante um ensejo da comunidade local, para atender crianças na faixa etária de 01 a 03 anos de idade. A partir daí iniciou suas atividades com o atendimento integral, contando com apoio pedagógico e psicossocial. As famílias das crianças são beneficiadas com visitas domiciliares e encaminhamentos para as áreas de apoio e atendimento necessários. Além disso, é solicitado às famílias, que participem da vida escolar dos filhos, assim contribuindo também de maneira espontânea com a instituição, favorecendo maior integração através de trabalhos voluntários e participação nos momentos de celebrações e promoções.

Ao longo de toda essa história é possível perceber como Deus foi conduzindo tudo. A presença de inúmeros religiosos que se doaram, nesta terra, procurando suscitar nos mais diversos corações a fé, a confiança em Deus pai providente. Hoje o trabalho missionário na Cidade de Jacundá é acompanhado por meio dos religiosos: Irmão Docimar Gnoatto, Padre Adriano Carminatti e Padre Joandeson Ferreira; que através de suas vocações se doam ao serviço do Reino de Deus, externando esse incondicional amor pela sua Igreja e pela humanidade: uma vez que somos todos amados e chamados por Deus.

Padre Joandeson Ferreira Pinheiro Souza, PSDP
Vigário Paróquia São João Batista

 

[REVISTA A PONTE, vol iv, p. 15, 2020]