OBJETIVOS

“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos” (Mt 9,37).

 

Atentos ao mandato de Jesus Cristo de juntos contribuirmos na construção do Reino de Deus, queremos como Família Calabriana, envolver todas as nossas forças em um único objetivo: o fortalecimento de nossas comunidades, atividades e missões, sendo Evangelhos vivos, para que o nosso exemplo seja motivador para a vida dos jovens que estão ligados à nossa família.

O Papa Francisco ressalta que a Igreja cresce por atração e não por proselitismo. Fica claro que o encantamento pela Vida Religiosa se dá por meio do testemunho dos religiosos, religiosas, e não por teorias que não preenchem os reais desejos da juventude na busca de sentido na escolha feita.

Estamos vivendo uma época profundamente marcada pelas relações líquidas, por escolhas passageiras, que não confluem para uma vida inteiramente dedicada ao outro. Isto atinge em cheio a Vida Religiosa Consagrada, por fazer parte desta realidade e por ser assumida por pessoas concretas, que buscam viver a sua vida com significado pleno. A realidade mostra que é grande o número de desistências do estado de vida assumido, por inúmeros fatores (questões afetivas, vida comunitária…). Tudo isto nos coloca em estado de reflexão e de busca de respostas para amenizar esta realidade e mudar o modo de Viver da Vida Religiosa na atualidade.Tenhamos ainda presente o processo de transição que vive a Vida Religiosa na atualidade. Uma passagem de um período de uniformidade, no qual se predominava a organização, a estruturação de regras, leis normas, como base de toda relação e fundamento da estrutura religiosa em detrimento dos processos pessoais dos religiosos, ou seja, a pessoa passa a ser o centro. Falar de tudo isto nos inspira possuir serenidade compreensão de todas estas transformações por que a Vida Religiosa está predominantemente inserida no mundo hodierno e com este mundo sofre as transformações que lhe são consignadas.

A espiritualidade calabriana, por ser atual e comprometedora, pode ser ainda hoje para todos aqueles que buscam viver a radicalidade do evangelho e do seguimento a Cristo, um ponto de equilíbrio, que ajuda a perceber que ainda há sentido e vitalidade no ser religioso. Calábria acreditava que mais do que palavras, precisamos ser sinais para aqueles que buscam conhecer o Senhor que chama. Um ano vocacional pensado para as delegações espalhadas pelo mundo, mostra ainda a preocupação presente pelas vocações e ao chamado do Deus da vida. Este anseio já era manifestado pelo próprio Pe. Calábria em seus escritos: “Valorizem e amem muito a própria vocação.” S. J. Calábria. Deus nos concede esta oportunidade de em nossas comunidades viver com intensidade o amor fraterno, mergulhar na riqueza do carisma que nos é confiado e junto com o povo de Deus aprofundar ainda mais a uma cultura vocacional em nossas atividades paroquiais, sociais, formativas e sanitárias.

Padre Ricardo Silva.

OBJETIVO

Viver o Ano Vocacional Calabriano nas Delegações Nossa Senhora Aparecida e Maria Imaculada atentos(as) ao chamado do Senhor da vida, a fim de construirmos uma cultura vocacional nas atividades.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

  1. Redescobrir o encantamento de nossa vocação a partir da experiência pessoal com Jesus Cristo;
  2. Intensificar a oração pelas vocações;
  3. Amanhar uma cultura vocacional nas comunidades religiosas;
  4. Reavivar a fé e confiança em Deus Pai que continua chamando;
  5. Testemunhar com alegria o ser Consagrado;
  6. “Sair, ver e chamar”.

 

Ano Vocacional Calabriano

“A vocação depende de Deus, e Deus não
deixa de suscitar em abundancia segundo os
desígnios da sua Providência. Mas sabemos que
Deus quer servir-se também dos homens como
seus instrumentos e auxiliares. ‘Quem te criou
sem a tua ajuda, não te salvará sem teu auxilio’:
esta palavra pode ser aplicada também às
vocações.”

(Padre Calábria, para ENRICO
RUBALTELLI *R 19)

Na carta do Casante, Pe. Miguel Tofful, ele nos fala que a Congregação, segundo uma indicação do XI Capítulo Geral, propõe a toda a Família Calabriana um ano para criar uma verdadeira cultura vocacional.

“O objetivo principal é fazer um trabalho de sensibilização sobre a importância de escutar e cultivar o chamado do Senhor; promovendo encontros, orações e atividades com o objetivo de sermos mais sensíveis ao tema do discernimento e do chamado que o Pai dirige a cada pessoa. Em cada realidade procurar-se-á de envolver os grupos, as paróquias, as Casas onde estamos presentes para refletir sobre o sentido da vocação.” Pe. Miguel Tofful